Responsive image

Guia de pesquisa ADOPIA


Informação geral

Cronologia dos nomes: o intervalo cronológico dos nomes está balizado entre o aparecimento das primeiras inscrições latinas durante o período republicano e os finais do século III d. C.

Origem dos nomes: incluem-se todos os nomes documentados em moedas e em epígrafes (com exceção de suportes cerâmicos) encontradas na Hispânia, mas também aqueles associados a indivíduos hispânicos com registo noutras partes do Império Romano. Cada antropónimo encontra-se cartografado em função do seu lugar de origem e não do de achado.

Pesquisa dos nomes (Atlas)

Na secção Atlas [http://adopia.huma-num.fr/pt/atlas], são disponibilizados CINCO tipos de pesquisa:

  • Pesquisa por um nome: realizável entre os antropónimos antigos indexados, isto é, nomina, cognomina, nomes únicos ou organizações suprafamiliares. Possibilita a pesquisa de nomes completos ou apenas de segmentos.

  • Pesquisa por uma localização moderna: realizável através de um local e município [lista].

  • Pesquisa por uma ciuitas: realizável através de un topónimo antigo [lista].

  • Pesquisa cronológica: simplificada, traduzida numericamente.

  • Pesquisa geral: realizável na totalidade da base de dados, permitindo o acesso a outros elementos onomásticos, como praenomina, tribos etc.

Os resultados de pesquisa são apresentados numa tabela com 6 colunas e num mapa.

  • Nome: ajustam-se a cada entrada tanto as formas masculinas como as femininas, além das variantes gráficas. Os nomes são apresentados no nominativo, aspeto que pode implicar a sua reconstrução quando apenas atestados num caso distinto: por exemplo, ADIE(I)VS.

  • Função: respeita ao nome na nomenclatura individual: nomen e cognomen (com a abreviatura Cog) para os cidadãos romanos; nome único (com a abreviatura NU) para os peregrini e escravos. Nos casos em que não é possível saber com exatidão estar-se perante um cognomen ou um nome único, assinala-se Cog/NU. As organizações suprafamiliares (USFam) também são indicadas.

  • Localização: indicada, relativamente ao território espanhol, pelo sítio ou lugar, município e província; pelo sítio ou lugar, freguesia, concelho e distrito, no respeitante ao território português. As províncias espanholas e os distritos portugueses são indicados por meio de abreviaturas e entre parêntesis [lista].

  • Ciuitas: se identificável, a referência territorial à ciuitas é indicada. Os dados referentes ao núcleo urbano de cada comunidade são diferenciados dos associados ao seu território pela inclusão de (T) após a denominação comunitária no respeitante a estes últimos.

  • Número de testemunhos: correspondente a cada nome em determinada localização moderna.

Clicando sobre o símbolo (+) é possível aceder a lista com todos os exemplos de cada antropónimo na localização especificada, apresentada através de tabela com 5 colunas, a saber:

  • Denominação completa: referente ao indivíduo e na qual se integra o nome concreto. Nesta coluna, o nome surge hiperligado ao registo da inscrição correspondente do arquivo TRISMEGISTOS (TM) e/o EPIGRAPHIK-DATENBANK CLAUSS-SLABY (EDCS), pelo qual é possível aceder às bases de dados epigráficas em que a mesma é incluída.

  • Função: atinente ao nome na nomenclatura individual (vide supra).

  • Tipo de documento: explicação do tipo de inscrição onde se encontra o antropónimo, nomeadamente :

    • sepulcral

    • votivo

    • honorífico

    • comemorativo (incluindo inscrições de edifícios), incluindo

    • jurídico

    • diploma militaris

    • incerto

  • Datação: simplificada, traduzida numericamente.

  • Referência bibliográfica: relativa à inscrição na qual se documenta o antropónimo; a primeira edição é geralmente indicada, seguida, entre parêntesis, das referências decorrentes dos principais repertórios epigráficos (AE, HEp, etc). A referência completa da publicação aparece ao passar o rato sobre a citação ou consultar a secção Bibliografia (aqui aparece em ordem alfabética), acessível a partir da página principal do portal web: http://adopia.huma-num.fr/pt/biblio.

Mapa

Encontram-se cartografadas no mapa todas as localizações referentes aos diferentes nomes, estando refletido no tamanho dos círculos o número de testemunhos associados a cada uma delas. As cores indicam a origem linguística e a função onomástica de cada nome:

  • Nomes latinos:       para os nomina e       para os cognomina e nomes únicos.

  • Nomes indígenas:      para os nomina e       para os cognomina e nomes únicos.

  • Nomes gregos:       independentemente da sua função.

  • Nomes de outras origens:       independentemente da sua função. 

  • Nomes de origem incerta:       independentemente da sua função. 

Clicando sobre uma determinada localização no mapa é possível aceder a todos os antropónimos aí documentados, sendo apresentados em tabela de seis colunas, como se indicou no primeiro passo (vide supra).

Gráficos

Na secção "Gráficos" [http://adopia.huma-num.fr/pt/graph] é possível gerar automaticamente gráficos dos dados onomásticos atestados em cada ciuitas antiga (tanto para o centro urbano como para o seu território) e em cada topónimo moderno.

Estes dados são apresentados sob a forma de três gráficos de tartes:

  • Um baseado na origem linguística de todos os antropónimos atestados num local: por exemplo, latim, grego, indígena, outros, etc.

  • Um baseado na função onomástica de todos os antropónimos atestados: nomen, cognomen, nome único, cognomen/nome único, grupo suprafamiliar (USFam), etc.).

  • Uma baseada numa combinação de origem linguística e função onomástica: por exemplo, nomen / latim, nomen / indígena, cognomen / grego, cognomen / indígena, nome único / latim, nome único / grego, grupo suprafamiliar (USFam) / indígena, etc.

Além disso, o número de atestados de cada antropónimo é indicado num BAR-GRAPH, especificando o número de nomina e o número de cognomina / nomes únicos.